> Artigos > Afinal, qual é o papel do CDO – Chief Digital Officer?

Afinal, qual é o papel do CDO – Chief Digital Officer?

Para entendermos quem é o CDO, suas habilidades e entregáveis, precisamos contextualizar o momento do Digital e de que forma a TI se encaixa neste cenário. Se fizermos uma análise na linha do tempo, partindo de 1948 quando a Remington introduziu as primeiras máquinas de escrever no Brasil até os dias de hoje, percebemos que a evolução tecnológica está cada vez mais rápida, passando pelos primeiros computadores caseiros até os atuais smartphones que permitem, por exemplo, soluções complexas com inteligência artificial, conectados a todo momento na internet. Diante deste cenário, com tantas evoluções tecnológicas em curto prazo, surge um novo executivo que tem a missão de acompanhar essas evoluções e alinhar com a estratégia de negócio das companhias. Era comum observarmos executivos de tecnologia realizarem planejamentos estratégicos focados em sistemas que poderiam trazer alguma ajuda junto as áreas de negócios, melhorias para o atendimento de Service Desk e alguns investimentos em servidores. Por outro lado, com a evolução constante da internet e das novas formas de consumo B2B e B2C, o CDO passa a ter o departamento de Marketing em seu portfólio, que em conjunto com a área de tecnologia, fortalece a marca da empresa através de campanhas de marketing digital e engajando-se fortemente nas redes sociais, divulgando sua nova cultura e posicionamento com foco em transformação digital. Outro exemplo interessante neste novo modelo de negócio com a junção entre Marketing e TI, é a capturas de dados pela internet, que se bem trabalhados em um Big Data e com ajuda de ferramentas de inteligência artificial, são capazes de gerar informações preciosas, em tempo real, para tomadas de decisões estratégicas, possibilitando entregar alto valor agregado aos clientes, fidelizar e até mesmo retê-lo. Ouvimos com certa frequência que as empresas estão passando por uma transformação digital, porem esse termo se banalizou um pouco pois uma simples troca sistêmica, por exemplo, está sendo chamada de transformação digital e na verdade, a grande mudança e impacto que vem de encontro com essa transformação é a mudança cultural das pessoas e empresas. A conectividade e a mobilidade mudaram a relação entre as empresas e clientes, assim como seus relacionamentos com fornecedores ou parceiros de negócio. Esta transformação está afetando a forma de atuação das empresas, mas acima de tudo, o que está sendo mudado é a mentalidade do negócio como um todo, independente da área de atuação, sendo indústrias, manufaturas ou prestação de serviços por exemplo. Um dos maiores desafios encontrados pelo CDO é o impacto na mudança cultural que essas empresas estão sofrendo, não apenas como a chegada de novas ferramentas tecnológicas, mas com diversos processos inovadores, tirando pessoas da zona de conforto e precisando, muitas vezes, se reinventar para se encaixar neste novo cenário. Não gosto muito do discurso que as novas tecnologias vão fazer com que pessoas percam seus empregos pois isso deve ser um motivador a mais para que estas pessoas entendam que essas mudanças vieram para ficar e que, de alguma forma, elas precisam aprender a como se adequar a este novo momento dentro das empresas, inclusive os gestores. Por mais que seja um cargo executivo relativamente novo e pouco divulgado e comentado no Brasil, os CEOs e Presidentes precisam estar alertas que este é um caminho sem volta e as empresas que não estiverem alinhadas com essa nova visão estratégicas, correm um sério risco de serem engolidas por seus concorrentes ou Startups que já nascem com essa visão de Inovação, Tecnologia e Marketing voltadas ao negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *