> Artigos > Quer ser feliz? Enterre seu “defunto”

Quer ser feliz? Enterre seu “defunto”

Quer ser feliz? enterre seu defundo

Quando eu trabalhava de CLT e eu ficava desempregada aprendi uma coisa com o passar do tempo, a enterrar “defuntos”.

Porque venhamos e convenhamos desligar alguém não é fácil. Aquele climão, o desligado quer “matar” o pessoal do RH, supervisor, os colegas de equipe, se sente traído porque trabalhou anos e muitas vezes até doente. Salvo quando a pessoa quer sair, e ainda sim sempre rola um ranço na entrevista de desligamento.

Praticamente todo mundo já ouviu falar de alguém que foi desligado de uma empresa, ou já foi desligado também.

Lembro-me de uma entrevista de desligamento minha onde a pessoa do RH se surpreendeu comigo quando sorri e fui falando para ela todas as coisas boas que aprendi na empresa.

Ela disse: “Você sabia que seria desligada? Ou queria ser desligada?” Eu falei nenhum e nem outro. Mas, isso não muda o fato de eu ser grata por tudo que aprendi aqui e ensinei.

Também tive meu período de luto. Aliás, você sabia que perder o emprego está entre as três grandes dores emocionais que o ser humano pode sentir?

Aprendi algo muito importante, o “defunto” deve ser enterrado “logo”. Porque se ficar “velando” por muito tempo começará a “feder”.

Sabe quando você ouve alguém falar: “porque quando eu era gerente, na empresa tal tudo era melhor”, ou “porque na minha antiga empresa era assim que funcionava”. Ou seja, está velando o “morto”, por isso não consegue crescer na atual empresa, está preso no passado.

Devemos usar as lições aprendidas, os erros cometidos, as ações que deram certo como base em nossa nova fase, mas, jamais querer replicar exatamente o mesmo modelo. Visto que as pessoas são outras, outro tempo e outra organização.

Quando sair não bata a porta, apenas a feche-a suavemente. Pois, se um dia precisar voltar e abri-la novamente a recepção será mais amistosa.

Por isso que o Networking deve ser feito como algo natural, seja empregado ou não. Estou falando do relacionamento verdadeiro, que ajuda, contribui e não aquele que só se relaciona por um puro e simples interesse.

Porque quando se é feito o bad network (“networking do mal”), ganancioso, frio e calculista, quando precisar de ajuda como achará?

Resolver bem o passado, em todas as áreas da vida, é de extrema importância se quisermos crescer e prosperar em nossa nova fase.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *